Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
27/04/21 às 18h47 - Atualizado em 27/04/21 às 18h47

Ambulatórios de reabilitação pulmonar para pacientes pós-covid

COMPARTILHAR

AGÊNCIA BRASÍLIA* I EDIÇÃO: CAROLINA JARDON

 

Para ter acesso à reabilitação pulmonar, o paciente deve procurar uma das unidades que oferecem o serviço com o encaminhamento do pneumologista para agendamento da avaliação | Foto: Geovana Albuquerque/Agência Saúde

 

A covid-19 pode causar várias sequelas, entre elas, disfunções respiratórias, principalmente em pessoas que passaram por hospitalização prolongada, com ou sem uso de ventilação mecânica. Desta forma, a Secretaria de Saúde estruturou serviços específicos para reabilitação pulmonar na rede.

 

Hoje, há quatro Ambulatórios de Saúde Funcional (ASF) que oferecem a reabilitação pulmonar e funcionam nos seguintes locais: Hospital Regional de Taguatinga (HRT); Hospital Regional da Asa Norte (Hran); Hospital de Base do Distrito Federal (HBDF); Hospital Universitário de Brasília (HUB).

 

Para ter acesso à reabilitação pulmonar, o paciente deve procurar uma das unidades que oferecem o serviço com o encaminhamento do pneumologista para agendamento da avaliação. Os objetivos do tratamento são: melhorar a função pulmonar com diminuição da dispneia (falta de ar), maior tolerância aos esforços; independência para realizar as atividades diárias; melhorar a qualidade de vida; e retorno à vida produtiva, trabalho e lazer.

 

Segundo a Referência Técnica Distrital (RTD) de Fisioterapia, Raquel Andrade, os pacientes que tiveram covid-19 geralmente têm a capacidade respiratória limitada e necessitam de equipe especializada para acompanhamento.

“Como resultado da inflamação do pulmão e do suporte respiratório invasivo, os pulmões podem permanecer com a capacidade respiratória limitada, o que dificulta a absorção e transferência do oxigênio para a corrente sanguínea. É o que causa cansaço, fadiga, limitação funcional e levam ao prejuízo da qualidade de vida”, explica.

 

“Os pacientes que não permanecem com sequelas pulmonares, mas que apresentam fraqueza muscular e têm dificuldade para realizar suas atividades da vida diária, podem ser reabilitados nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) e/ou nos ambulatórios”, completa Raquel Andrade.

 

De acordo com o fisioterapeuta Vinícius Maldaner, do Ambulatório de Saúde Funcional do Hran, a identificação precoce dos pacientes acometidos pela doença que necessitam de acompanhamento especializado e reabilitação pulmonar é fundamental para o correto encaminhamento e elaboração do plano terapêutico.

 

“Após passar por avaliação com o médico pneumologista, os pacientes que apresentarem sequelas pulmonares devem ser encaminhados para a reabilitação pulmonar conforme nota técnica elaborada pela referência técnica de fisioterapia”, explica.

 

“A reabilitação pulmonar consiste em um programa de exercícios supervisionados e prescritos por fisioterapeutas especializados. Através da reabilitação devolvemos esse paciente à sociedade, impedimos outras complicações e esse paciente passa a depender menos dos serviços de saúde, diminuindo até os custos para o governo”, destaca o fisioterapeuta.

 

A Atenção Primária tem papel fundamental no acolhimento, tratamento e encaminhamento dos pacientes com limitação funcional por Covid-19. As equipes de Estratégia Saúde da Família podem solicitar apoio aos Núcleos Ampliados de Saúde da Família (Nasf), onde o paciente será orientado sobre os principais cuidados, poderá participar de grupos para ganho de força e funcionalidade, bem como poderá ser encaminhado aos ambulatórios.

 

*Com informações da Secretaria de Saúde

 

Fonte: Agência Brasília