Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
13/04/21 às 13h57 - Atualizado em 13/04/21 às 13h57

Mais de 100 mil já tomaram a 2ª dose da vacina no DF

COMPARTILHAR

AGÊNCIA BRASÍLIA* | EDIÇÃO: CHICO NETO

 

 

 

Pouco mais de dois meses após iniciar a campanha de vacinação contra a covid-19, o Distrito Federal alcançou a marca de 100.284 vacinados com a segunda dose (D2) da vacina. De acordo com o Vacinômetro da Secretaria de Saúde, a marca foi atingida no último domingo (11).

 

Estudos indicam que somente após a aplicação da segunda dose o ciclo de imunização é finalizado e a eficácia global da vacina está assegurada. No caso da vacina Covishield (Oxford/Astrazeneca), a eficácia global é de 76%; já para a CoronaVac (Instituto Butantan), a eficácia global é de 50,38%, podendo prevenir em até 78% os casos de internação hospitalar.

 

A infectologista da rede de saúde pública Joana d’Arc Gonçalves afirma que o marco na vacinação do DF é um bom motivo para  comemorar, mas reforça que ainda há um longo caminho a ser percorrido. “Essa é uma marca interessante”, diz. “Ainda não é o suficiente, porque a gente precisa de uma imunidade de rebanho, mas demonstra uma disposição da população em se vacinar e um esforço da própria rede em manter e ampliar a vacinação”.

 

Para os vacinados com a CoronaVac, o prazo para receber a segunda dose varia entre 14 e 28 dias. Já os que receberam a Covishield devem retornar à unidade de saúde em até três meses após a administração da primeira dose. Atualmente, estão sendo vacinados os idosos acima de 66 anos e os profissionais de saúde de consultórios, clínicas, laboratórios, farmácias, funerárias e do Instituto Médico Legal (IML). Membros das forças de segurança começaram a ser vacinados na semana passada e continuam nesta semana.

 

A infectologista, no entanto, adverte que o fato de ter recebido as duas doses não significa que se pode relaxar. “Mesmo as pessoas vacinadas têm de manter alguns cuidados para não servirem como vetor da doença, porque, mesmo imunizada, em algumas circunstâncias, a pessoa pode ir a algum ambiente e acabar sendo infectada pelo vírus”, alerta. “Você pode não desenvolver a doença, mas você pode transmitir, mesmo estando vacinado. Então, até as pessoas vacinadas devem manter o mesmo cuidado.”

 

*Com informações da Secretaria de Saúde

 

Fonte: Agência Brasília