Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
16/03/21 às 15h36 - Atualizado em 16/03/21 às 15h36

Mais mobilidade e qualidade de vida para 100 mil pessoas

COMPARTILHAR

ANA LUIZA VINHOTE, DA AGÊNCIA BRASÍLIA | EDIÇÃO: RENATA LU

 

Além do serviço de patrolamento, foram fechadas várias erosões espalhadas pela região | Foto: GDF Presente

 

Três quilômetros de vias foram recuperados nas ruas do Trecho 2 e 3 do Sol Nascente/Pôr do Sol. As equipes do Polo Oeste do GDF Presente, em parceria com a administração regional da cidade, trabalham para melhorar a mobilidade de 100 mil moradores. Além do serviço de patrolamento, os operários também fecham erosões espalhadas pela região.

 

Morador do Sol Nascente/Pôr do Sol há mais de 20 anos, Davi Alves, 43 anos, elogiou a ação do governo local. “Estava precisando dessa manutenção. Além de prejudicar pedestres e motoristas, também atrapalhava os usuários do transporte público. Às vezes, os veículos não conseguiam acessar as ruas”, lembra o motorista.

 

“Estava precisando dessa manutenção. Além de prejudicar pedestres e motoristas, também atrapalhava os usuários do transporte público. Às vezes, os veículos não conseguiam acessar as ruas”

Davi Alves, 43 anos, motorista

 

“O GDF tem feito muitas melhorias pela nossa cidade, como a construção de meios-fios nas calçadas e de rede de esgoto e águas pluviais. A coleta de lixo chegou a nossa região e algumas ruas também já foram pavimentadas. Estamos muito satisfeitos com todas essas ações”, comemora Davi Alves.

 

Em algumas ruas, foi usado o material fabricado na Unidade de Recebimento de Entulhos do SLU – restos de materiais da construção civil, transformados em areia e cascalho | Foto: GDF Presente

 

Serviço

 

Equipes do GDF Presente e da Administração do Sol Nascente Pôr do Sol executam os serviços. O coordenador do Polo Oeste, Devanir Martins, explica que em algumas ruas foi necessário utilizar o material fabricado na Unidade de Recebimento de Entulhos (URE) do Serviço de Limpeza Urbana (SLU).

 

“São restos materiais da construção civil, como pedras, pedaços de tijolos e telhas, por exemplo, que se transformam em areia, cascalho. Ao todo, utilizamos 100 toneladas”, conta. “Em algumas vias não foi preciso usar esses resíduos, pois só com a esteira, patrol e rolo conseguimos recuperar” comenta Devanir Martins.

 

O administrador da cidade Cláudio Ferreira destaca a importância da ação para o dia a dia dos moradores. “Dá mais conforto e segurança a comunidade”, ressalta. “Sempre que chove muito, temos alguns problemas porque a região ainda está no processo de infraestrutura. As ruas ficam esburacadas, mas com essa parceria conseguimos resolver os problemas”.

 

Fonte: Agência Brasília