Governo do Distrito Federal
21/11/22 às 17h19 - Atualizado em 21/11/22 às 17h20

Fumacê já percorreu mais de 1.500 km de ruas do DF

O combate ao mosquito Aedes aegypti não para. Há um mês, com a chegada das primeiras chuvas, o serviço de borrifação ultrabaixo volume (UBV) – conhecido como Fumacê – foi intensificado. Até o momento mais de 1.500 quilômetros já foram percorridos pelas 12 viaturas da vigilância em saúde.

 

Nesta semana, eles vão passar por 12 regiões administrativas: Ceilândia, Estrutural, Gama, Guará, Jardim Botânico, Lago Norte, Lago Sul, Samambaia, Santa Maria, São Sebastião, Sobradinho e Taguatinga.

 

O indicado é abrir as portas e janelas para o produto entrar | Foto: Foto: Geovana Albuquerque/Agência Brasília

 

A rota é definida de acordo com os endereços dos casos positivos informados pela vigilância epidemiológica. “Nós abrimos um raio de dois quilômetros de cada local identificado, investigado e confirmado da doença”, explica o coordenador de Controle Químico e Biológico do Distrito Federal, Reginaldo Braga. Como parte da estratégia contra o Aedes aegypti, são levadas em consideração as demais viroses transmitidas pelo inseto: zika vírus e chikungunya.

 

A borrifação é feita, geralmente, no início da noite ou ao amanhecer. São períodos com menor corrente de vento, quando a fêmea tem o hábito de estar fora das casas. “Em caso de chuvas, é efetuada a pulverização na madrugada do dia seguinte, das 5 às 10 horas”, destaca o coordenador.

 

O indicado é abrir as portas e janelas para o produto entrar. “Fechando esses espaços, os mosquitos que estão lá dentro estarão protegidos e a pulverização UBV não vai chegar até eles”, reforça Braga.

 

“Apesar de matar o inseto, a substância não faz mal ao humano nem aos animais domésticos”, assegura o subsecretário de Vigilância em Saúde, Divino Valero. Neste ano, a pasta ainda adquiriu 4,5 mil quilos de inseticida para fortalecer os recursos contra o inseto. Os insumos devem abastecer o Distrito Federal até junho de 2023 ou até o Ministério da Saúde entregar mais produto. O investimento foi por licitação regular, no valor de R$ 3 milhões.

 

Dentro de casa

 

O subsecretário alerta para a contribuição da população durante a ação do fumacê e também no cuidado da sua residência. “97% dos focos do mosquito estão dentro das áreas residenciais e comerciais”, alerta. “As pessoas têm de entender que o mosquito está nas residências e que o combate deve ser doméstico”, completa.

 

Por isso, em conjunto com a ação do fumacê, a Secretaria de Saúde trabalha na inspeção de residências. “Devemos lembrar que durante a pandemia não houve vistoria às residências e que ficamos 15 meses sem poder entrar nas casas”, acrescenta o subsecretário de Vigilância à Saúde, Divino Valero Martins.

 

Até outubro, os 1,2 mil agentes dos 15 núcleos de Vigilância Ambiental inspecionaram 2,3 milhões no DF. Durante as vistorias, foram identificados mais 5,5 milhões de depósitos, sendo que mais de 490 mil foram tratados com larvicida e 114 mil, eliminados.

 

O gerente de Vigilância Ambiental de Vetores, Animais Peçonhentos e Ações do Campo, Edi Xavier Faria, adverte que em períodos de chuva há mais depósitos. “Então se deixa uma casca de ovo no quintal, um sapato, um pote de sorvete ou uma garrafa de boca para cima, com a água da chuva forma-se um local que pode virar um criadouro”, exemplifica.

 

Itinerário

Nesta semana, o fumacê vai passar por:

 

Segunda-feira (21)
Ceilândia (QNP 21; QNN 18)
Gama (Setor Sul: QD 4 e 9)
Jardim Botânico (condomínio Jardim Botânico 3)
Lago Norte
Santa Maria (QR 210)
São Sebastião (Residencial do Bosque; Bairro São José: da quadra 36 a 40)
Sobradinho (Quadra 12; Setor de Expansão Econômico)

 

Terça-feira (22)
Ceilândia (P Norte: QNP 11)
Estrutural (Setor Oeste: Quadra 4)
Gama (engenho das lajes)
Lago Sul
Santa Maria (QR 216)
São Sebastião (Residencial Oeste: quadras 101 e 102)
Sobradinho (quadras 13 e 15)
Taguatinga (QNL 3)

 

Quarta-feira (23)
Ceilândia (QNP 24)
Estrutural (Setor Oeste: Avenida Cabeça do Valo)
Gama (Setor de Indústria; setor sul: 4 e 9)
Lago Norte (QI 6)
Samambaia (QR 411 e 413)
São Sebastião
Sobradinho (quadras 14 e 17)

 

Quinta-feira (24)
Estrutural (Setor Oeste: quadra 6)
Gama (Setor Leste: QD 15, 29, 31, 32, 40)
Jardim Botânico (Condomínio Jardim Botânico 3)
Lago Sul
São Sebastião (Residencial do Bosque)
Sobradinho (Quadra 14; Setor de Expansão Econômico)
Taguatinga (QNL 2 e 26; QND 49 e 50)

 

Sexta-feira (25)
Estrutural (Setor Oeste: conjuntos próximos à Avenida Cabeça do Valo)
Gama (Setor Norte: QD 2)
Guará (QE 56)
Samambaia (QR 415)
Santa Maria (QR 210)
São Sebastião (Residencial Oeste: quadras 101 e 102; Bairro São José: da quadra 36 à 40)
Sobradinho (quadras 11 e 15)

 

*Com informações da Secretaria de Saúde

 

Fonte: Agência Brasília